5 mitos sobre coloração: saiba o que é verdade ou mentira na hora de transformar a cor dos cabelos

Colorir os cabelos pela primeira vez é sempre uma aventura, e muitas ainda ficam cheias de dúvidas por conta de vários mitos que existem em torno do processo! Quem nunca teve medo de mudar a cor os fios porque ouviu dizer que eles poderiam cair mais ou ficar muito danificados que atire a primeira pedra, certo? Para passar pela experiência sem medo, conheça algumas das perguntas que quase todas nós já fizemos antes, durante e depois da coloração e saiba o que fazer em cada cenário!

1

Colorir os cabelos provoca a queda dos fios? MITO!

 

Se alguma vez você ouviu dizer que os cabelos começariam a cair após a transformação de cor no visual, saiba que esse mito está longe de ser verdade. A lógica, na verdade, é bem simples: as tintas não agem exatamente na raiz, mas nos fios dos cabelos, portanto, não é capaz de enfraquecê-los assim como outros processos químicos.

No entanto, caso você tenha alergia ao produto usado para a coloração, o caso é outro. Nessas horas, o conselho é testar a tinta em uma mecha antes de começar o processo e, por precaução, aguardar o resultado para decidir repaginar os cabelos.

$name
2

É possível platinar o cabelo apenas com descolorante? MITO!

 

É bem verdade que os descolorantes vão abrir e clarear a cor das mechas, mas se o seu desejo é um tom loiro platinado, ele, sozinho, não fará todo o trabalho. Principalmente no caso das morenas naturais, esses produtos costumam abrir a cor dos cabelos deixando um aspecto alaranjado nos fios - que é o subtom natural dos fios escuros - causando um aspecto bem diferente do loiro bem clarinho e aberto que se deseja.

Para um resultado final satisfatório, vale investir na coloração adequada, que tenha agentes protetores e propriedades neutralizantes, eliminando os riscos.

$name
3

Escolher colorações com .0 na caixinha garante uma cor mais intensa? MITO!

Ao pesquisar pela cor da tinta permanente, algumas pequenas confusões podem acontecer por causa dos números nas embalagens dos produtos. Para quem não entende o que a numeração significa, é importante esclarecer que o primeiro número é relativo à cor base - desde o preto até o louro ultra claríssimo - e, o segundo número, que fica depois do ponto, diz respeito a nuance ou reflexo que aparecerá por trás da cor escolhida.

Sendo assim, vale reforçar que colorações com o zero depois do ponto não são versões mais intensas da primeira cor descrita na caixinha: na verdade, elas significam que aquela tonalidade é natural e sem nuances. Para uma cor mais acentuada, o certo é escolher a opção de caixinha que repita o número após o ponto, como nas opções 6.66 ou 6.88, por exemplo.

$name
4

Não é permitido colorir cabelos com química? DEPENDE!

 

É bem verdade que mechas e luzes não são tão compatíveis com alisamentos e que insistir nisso significa uma possível quebra química nos cabelos, mas existe uma exceção: para quem tem os cabelos alisados, uma possibilidade de colorir os fios sem danificá-los é usar as tintas semi-permanentes, que não contêm amônia na composição e, dependendo da fórmula, são compatíveis com químicas encontradas nas escovas progressivas, definitivas, entre outras. Além disso, esse tipo de coloração garante a transformação na cor das madeixas seguida de um banho de brilho nos fios.

$name
5

Aspecto manchado depois da coloração é culpa da tintura usada? MITO!

 

Se o resultado final da coloração ficou bem diferente do esperado - com cores claras e escuras espalhadas pelas madeixas - é importante ressaltar que o produto não deve levar a culpa. O que acontece é que os fios danificados são grandes vilões da coloração perfeita e, quando as madeixas não estão saudáveis, a coloração não consegue agir como deveria. Para não lidar com esse problema, comece a investir em um cronograma capilar intensivo para recuperar a saúde dos fios!

Matéria publicada em 28 de junho de 2021, por Webedia.