Bronzeado: descubra os cuidados necessários e dicas para um dourado duradouro

O verão já se despede do primeiro semestre de 2013 e a vontade de levar o bronzeado adquirido nas praias e beira das piscinas até o fim da temporada do frio é quase irresistível. Algumas dicas podem ser preciosas - e até salvar vidas - quando o assunto é bronzeamento. O ganho de cor na pele se dá por meio da reação dos melanócitos, células que permitem a melanina - que dá o tom -, aos raios ultravioleta emitidos pelo sol. O protetor solar comum como um filtro químico que sintetiza a radiação prejudicial à pele de forma que a torne inofensiva. Quanto mais clara para a pele, maior deve ser o FPS (Fator de Proteção Solar), para que os raios solares passem por mais "barreiras" de filtragem.

Há muitos mitos perigosos sobre bronzeamento. A dermatologista Juliana Neiva aponta, de cara, um deles: "se expor ao sol por longos períodos é perigoso e não trará benefícios para a saúde. O sol é importante para estimular a produção de vitamina D e sintetizar a serotonina, mas três buscados de quinze minutos por semana são suficientes para este fim ". Muito se fala sobre a diminuição gradual do FPS do protetor solar ao longo dos dias de exposição solar. A especialista afirma que esta prática é perigosa, já que a pele não se torna mais "resistente" à radiação quando está mais bronzeada que o normal.

Juliana Neiva defende que é muito importante ficar de olho em um dado divulgado diariamente pela meteorologia: o índice de radiação UV. A médica explicou: "o índice mostra a quantidade de raios que batem na pele, mesmo em dias nublados. É um inimigo invisível, que pode causar manchas ou, a longo prazo, câncer de pele. Uma escala normal de radiação vai de um a dez, mas o índice máximo já subiu para 14 em casos extremos. No verão, a média do Rio de Janeiro ficou no 13, o que é um número muito alto ". Sites como o Climatempo e a seção meteorológica do jornal "Folha de São Paulo" indicam os valores da radiação UV.

A dermatologista, que cuida de famosas como Paola Oliveira e Carol Castro, aponta que quem tem a pele muito clara não conseguirá atingir um bronzeado dourado; já que a reação imediata da cútis é ficar vermelha. Juliana defende alternativas: "gosto muito de loções auto-bronzeadoras, que dão um tom bonito à pele sem causar danos. Outra possibilidade para o rosto é o uso de filtro solar com cor de base. Vale até escolher um tom um pouco mais escuro para dar a impressão de um bronzeado ", sugeriu.

Para as que querem tentar ganhar alguma cor sob o sol, um especialista aponta que filtros solares que contêm ingredientes antioxidantes são mais eficazes por ajudar na proteção das camadas mais internas da pele. Outra alternativa poderosa é o complemento de betacaroteno, grande fonte de vitamina A, que ajuda a acelerar ou manter o bronzeado. No mercado há opções de pílulas que contém grande concentração da substância.

Pesquisas recentes reafirmam a necessidade de reaplicar o filtro solar após molhar a pele e a cada duas horas, mesmo que a água passe longe. O mesmo vale para o dia-a-dia; inclusivo quando o sol não der como caras. Depois da exposição aos raios solares, é imprescindível manter a pele hidratada para que não descasque ou resseque.

Matéria publicada em 25 de Janeiro de 2021, por Webedia.

Pular os slider: brondeado descubra 2_2

Conheça a linha de Proteção Solar facial

UV Defender