Pilates e RPG: entenda e diferença e saiba quando apostar em cada atividade!

Seja para corrigir a postura ou tratar problemas na coluna, o pilates e a RPG estão entre as atividades mais procuradas! No entanto, por mais que as duas entreguem benefícios específicos para esses objetivos, existem diferenças muito importantes entre elas - tanto em relação aos exercícios realizados quanto aos efeitos no corpo. Está pensando em investir em uma dessas modalidades ou apenas quer entender melhor como funciona cada uma? Confira a matéria!

RPG é um método fisioterápico indicado para lesões mais sérias 

Sigla de Reeducação Postural Global, a RPG é uma técnica de fisioterapia que tem como função ajustar a postura para reorganizar os movimentos do corpo! Desenvolvida na França pelo físico e fisioterapeuta Philippe Souchard, ela conta com uma série de alongamentos na área que foi comprometida para que os músculos se reequilibrem e voltem à posição normal. 

E não para por aí: além de corrigir as lesões, a atividade - que, em geral, costuma ser feita em sessões de 1h ou mais - também ajuda a respirar da maneira correta e ensina a postura ideal para que o paciente evite novos problemas no futuro. 

Quem deve apostar na atividade: 

A RPG não é uma prática voltada para fins estéticos. Ela é recomendada, principalmente, à pessoas que estão com sérios desvios posturais - como lordose, cifose e escoliose, por exemplo; que sofrem com lesões por esforço repetitivo, hérnias de disco e bursite - que é a inflamação das articulações. Além disso, também pode trazer benefícios para alguns problemas respiratórios e, também, ajudar mulheres grávidas durante o período pré e pós-parto. 

Frequência ideal: 

Feitas com um fisioterapeuta especializado, a frequência da RPG varia de acordo com cada caso! Para um determinado paciente, por exemplo, pode ser que seja necessário fazer duas sessões por semana durante meses; enquanto, para outro que sofreu alguma lesão recente, uma sessão única pode ser suficiente. 

Pilates trabalha com todo o corpo e pode ser praticado para fins estéticos 

Assim como a RPG, o pilates - criado na Alemanha pelo enfermeiro Joseph Hubertus Pilates - traz benefícios para a respiração e corrige a postura. Mas, diferentemente da primeira atividade, pode ser praticado apenas para fins estéticos, ajuda a criar uma ligação entre corpo/mente e trabalha com todos os movimentos em vez de focar apenas no que está comprometido - como acontece com a Reeducação Postural Global. 

Durante a aula, que costuma durar 1h, são realizados alongamentos e uma série de exercícios que contam com o peso do próprio corpo. Baseada em seis princípios básicos - respiração, concentração, precisão, controle e fluidez -, a atividade é considerada uma das mais completas por mexer em diferentes pontos; e, a longo prazo, ainda entrega o benefício de aumentar a força muscular e a flexibilidade. 

Quem deve apostar na atividade: 

Qualquer pessoa que tenha interesse em praticar atividades físicas pode apostar no pilates - seja com o objetivo de investir em alguma técnica para corrigir a postura e/ou aumentar a resistência, ou apenas se exercitar e manter a forma. Além disso, por contar com exercícios de baixo impacto e trabalhar o condicionamento cardiovascular, também aparece como uma ótima opção para garantir uma boa qualidade de vida para os idosos. 

Frequência ideal: 

É recomendado manter uma frequência de três vezes na semana para que a prática se torne regular e conte com um devido descanso entre as sessões. Mas, se não for possível seguir esse ritmo, é possível adaptar o número de aulas à sua rotina conversando com o instrutor - que, em geral, é um professor de Educação Física ou Fisioterapeuta. 

 

Matéria publicada em 08 de março 2021, por Webedia.