Os cabelos mais marcantes do cinema

O cinema é responsável por consagrar atrizes com personagens que ficam na memória do público. O cenário, um figurino glamouroso, um penteado que se destaca, tudo se torna parte do longa-metragem e marca época. Alguns personagens vão além e ganham evidência também por suas características físicas, como Cleópatra (Elizabeth Taylor), Dorothy (Judy Garland) e Holly Golightly (Audrey Hepburn).

Glamour da Hollywood antiga nas atuações

Audrey Hepburn representa bem a importância do estilo nos cabelos para criar um personagem. Apesar de ter participado de inúmeros filmes, e ter usado o coque alto de Holly Golightly algumas vezes em cena, foram os pequenos detalhes, como a coroa no topo da cabeça, que nos fazem ligar o estilo da "Bonequinha de Luxo" ao personagem criado por Capote. Outro personagem que criou uma ligação com sua interprete foi "Cleópatra", filme que completa cinco décadas esse ano. O personagem da rainha do Egito ficou ligado a Liz Taylor e os cabelos pretos, lisos e com muitos acessórios dourados viraram sinônimo da exuberância e sofisticação tanto da personagem quanto da atriz.

Personagens como a Dorothy, de Judy Garland, com sua maria-chiquinha tentando voltar ao Kansas em "O Mágico de Oz" também marcaram época. Nos anos seguintes, o volume e a sofisticação dos penteados foram diminuindo, até que as atuações mais destacadas tinham inspirações minimalistas, como os fios de Mia Farrow em "O Bebê de Rosemary" no final dos anos 1960.

Volumes, cachos e mudanças radicais

Nos anos 1980, o cinema privilegiou suas heroínas rebeldes e os cabelos acompanharam o movimento. Do ousado penteado da princesa Leia em "Guerra nas Estrelas", aos fios volumosos e curtos de Claire Standish (Molly Ringwald) em "Clube dos Cinco" e Jennifer Grey como Frances "Baby" Houseman em "Dirty Dance". Essa herança chegou à década seguinte e tornou alguns fios cacheados objeto de desejo, tendo como referência a personagem Vivian Ward, de Julia Roberts em "Uma Linda Mulher" e Meg Ryan como a Dra. Meggie Ric em "Cidade dos Anjos". Os fios de Meg serviram de inspiração para as mulheres da época e o corte foi um dos mais pedidos nos salões de beleza nos anos 1990.

Atualmente o cinema vive de mudanças radicais e os fios que marcam nos personagens são os que fazem as atrizes se transformar completamente. Um exemplo é Emma Stone, que mudou o tom ruivo pelo qual ficou conhecida para o loiro platinado, quase branco, para atuar em "O Espetacular Homem-Aranha". Anne Hathaway também entrou para a lista recentemente, quando precisou emagrecer e cortar os cabelos longos para viver a prostituta Fantine na adaptação para os cinemas de "Os Miseráveis".

Tip
1

Enim ad minim veniam