Protetor solar no inverno: dermatologista cita 3 razões para usar o filtro na pele do rosto em dias frios

$name

Que o protetor solar é essencial no verão, você certamente já sabe. Mas você sabia que ele também é indispensável no inverno? Por conta do tempo nublado e temperaturas baixas, muitas pessoas acreditam que não é necessário se proteger, o que é um erro que pode causar danos à saúde da pele. “Se está de dia, há radiação UV, independentemente da época do ano”, afirma a dermatologista Fabiana Wanick.  Para te incentivar a se proteger dos raios solares nos dias frios, listamos, com a ajuda da especialista, três motivos importantes para usar o protetor solar no inverno - além de dicas de como escolher o melhor filtro para a pele do rosto. Confira!
Pular os slider: UV-Defender1

Conheça a linha de protetor solar

UV Defender de L’Oréal Paris

1. Usar protetor solar no inverno protege a pele do fotoenvelhecimento

Não se deixe enganar pelo tempo encoberto por nuvens. Mesmo que você não consiga ver os raios solares, eles estão sempre presentes e podem causar o envelhecimento da pele. Segundo a dermatologista, a pele está sempre exposta aos efeitos nocivos dos raios UVA e UVB, que estimulam a produção de radicais livres, causando o envelhecimento precoce da pele. Os principais sintomas são a pele ressecada, flácida, com rugas e linhas de expressão. Também podem aparecer manchas ou haver um escurecimento de cicatrizes de acne e outras manchas já existentes na pele. “E há dias de inverno que a luminosidade é enorme. Por isso, o filtro solar deve ser usado durante o ano todo, mesmo no inverno”, indica.

2. O protetor solar também auxilia na proteção contra a luz não visível

O protetor solar também pode proteger a sua pele mesmo que você esteja dentro de casa ou do escritório. Durante o inverno, as pessoas tendem a passar mais tempo em casa e o uso de celulares e computadores se torna mais frequente, o que aumenta a exposição à luz não visível ou luz azul, nome dado à iluminação emitida pelas telas. Essa luz emite uma radiação que pode penetrar a derme e acelerar o envelhecimento da pele e, por isso, criar uma barreira com protetor solar é essencial. Segundo a dermatologista Fabiana Wanick, o protetor com cor é a melhor opção nesses casos. “O protetor solar com cor é superior nessa proteção extra que é necessária diante da luz não visível”, afirma.

3. É possível ter queimaduras solares e doenças de pele mesmo no inverno

Se os raios solares estão presentes durante o ano inteiro, isso significa que também estamos expostos à queimaduras solares e doenças de pele do verão ao inverno. Melasma e câncer de pele são as mais comuns e conhecidas, mas há outras doenças que podem ser causadas pelo excesso de exposição ao sol sem protetor solar. A maioria delas causa manchas e descamações na pele e podem se desenvolver para quadros mais graves, como o próprio câncer de pele.

Qual o melhor protetor solar para o inverno? Saiba qual escolher de acordo com seu tipo de pele

Se você ainda não tem um protetor solar na sua rotina de cuidados, deve estar se perguntando quais as melhores fórmulas para se proteger no inverno. A primeira dica é apostar em um protetor solar com cor, que vai defender a pele tanto dos raios UV quanto da luz não visível.

O seu tipo de pele também precisa ser levado em consideração na hora de escolher o protetor solar: pele oleosa e acneica deve ser protegida com um protetor solar toque seco. “As pessoas de pele oleosa devem usar filtro solar fluido, livre de óleo e com toque seco”, diz a dra. Fabiana Wanick. “As formulações com toque seco são vantajosas em qualquer época do ano, pois permitem o uso de maquiagem, no caso das mulheres, e evitam o brilho que tende a aparecer ao longo do dia mesmo no inverno. No caso dos homens, evitam aqueles aspecto pegajosos que eles odeiam”, explica.

Quando o assunto é protetor solar e pele acneica, as versões com cor também são uma boa aposta, pois cobrem manchas e cicatrizes, o que deixa a pele mais uniforme. Para quem tem a pele seca, o indicado é fazer uma hidratação profunda da pele antes de aplicar o protetor solar. “As pessoas que possuem a pele seca podem usar um sérum com ácido hialurônico antes do filtro solar de toque seco, por exemplo. Fica perfeito”, garante a dermatologista.

Qual a diferença do protetor solar 30 e 60? Qual usar no inverno?

O fator de proteção solar, ou apenas FPS, também é motivo de dúvida na hora de escolher um protetor solar. Para explicar de forma simplificada, o cálculo do FPS compara o tempo em que a pele com e sem protetor leva para ficar vermelha. Assim, se você usa um protetor solar com FPS 30, está trinta vezes mais protegido dos raios solares, enquanto o FPS 60 te deixa sessenta vezes mais protegido, e assim sucessivamente.

E qual fator de proteção usar? De acordo com a dermatologista, isso também depende do seu tipo de pele e dos seus hábitos diários. “Por exemplo, a pele branca (fototipo II) deve usar filtro maior sempre, assim como as pessoas que praticam atividade física ou trabalham ao ar livre”, explica. “Mas se a pessoa não se expõe muito ao sol, trabalha em escritório ou de casa, e não tem nenhuma condição que esteja relacionada a fotossensibilidade (tipo melasma, lupus, vitiligo, dentre outras), ela pode usar um filtro solar com FPS 30”, afirma. Se o seu dia é preenchido por atividades dentro e fora de casa, na dúvida, opte por um protetor solar com um FPS alto e com cor.

Pular os slider: UV-Defender2

Conheça a linha de protetor solar

UV Defender de L’Oréal Paris